Início > Dicas técnicas > Zerar o Fotômetro?! Essa e outras pérolas da fotografia.

Zerar o Fotômetro?! Essa e outras pérolas da fotografia.

Há um tempo atrás eu estava conversando com um amigo, o fotógrafo Darlinton Ferreira, sobre algumas frases que ouvimos quando estamos com outros fotógrafos que – para nós – não faz o menor sentido.

Fiquei um tempão refletindo se deveria fazer essa postagem e, caso fizesse, se faria em forma de vídeo ou escrita. Quase fiz em video, pois achei que eu precisaria ser enfática em alguns pontos, mas depois desisti.

Bom, vou começar pela recente experiência do Darlinton, que me inspirou a escrever e também ilustra o título do texto.

1- Zerar o fotômetro. WTF?

Além dessa eu já ouvi alguns variações do tipo “finalmente aprendi a fotometrar”. Explico. Eis que meu amigo Darlinton estava fotografando em conjunto com outros colegas e um deles disse que finalmente aprendeu a “zerar o fotômetro”.

Pois bem, vejamos. Se a pessoa se referia a conseguir colocar o “pontinho no meio”, sinto informar-lhe que isso não é saber fotometrar. Primeiro porque até um macaco consegue fazer isso. Segundo porque você pode girar o dial da sua câmera loucamente e mais cedo ou mais tarde o tal pontinho vai ficar o meio. Isso não significa que você saiba o que está fazendo.

Perceba que, se velocidade e abertura são inversamente proporcionais, é só jogar uma pra um lado, outra pro outro e você vai, eventualmente, conseguir uma correta exposição.

Aprender a fotometrar significa aprender os conceitos, entender a luz e saber usar o fotômetro a seu favor, como assistente.

Existem inúmeras combinações de velocidade, abertura e ISO que te trarão exatamente a mesma exposição. Cabe a você julgar qual é a melhor delas, sendo assistido pelo fotômetro (que mede a luz pra você, facilitando a sua vida).

exemplo de fotômetro onde é só girar e pôr no meio

2- Toda lente de kit é escura.

Essa foi o ápice. Depois de parar de rir, foi a gota d’água para que eu escrevesse para vocês sobre esses conceitos altamente deturpados que as pessoas têm.

O sujeito disse que fez um teste, câmeras iguais, com “tudo igualzinho”. Aqui eu deduzo que quis dizer, mesma velocidade, mesma abertura e mesmo ISO. Então o teste dele revelou que numa 50mm f/1.8, com “tudo igualzinho”, ela é mais clara que uma lente de kit.

Vamos analisar porquê esse é um erro absurdo. Se a abertura (tanto na 50mm como na lente de kit) for f/5.6, por exemplo, usando o mesmo ISO e mesma velocidade a exposição será a mesma. Não existe lente mais clara que a outra, existe lente com maiores aberturas.

As pessoas pensam que a 50mm é uma lente clara e ponto. Então se ela tiver em f/16 ela será clara. Amigos, vou escrever bem devagar para vocês entenderem (hahahaha):

E pra deixar mais claro ainda, fizemos o teste. Foram feitas duas fotos,  usando uma Nikon D80. A foto da esquerda é de uma 50mm e da direita com uma 18-135mm, na distância focal de 50mm. Ambas estão com abertura f/5.6, velocidade 1/2 e ISO800. Vejam que a exposição está igual! A 50mm não é mais clara que a lente do kit, ela só permite aberturas maiores. É claro que a diferença que vocês notarão é de nitidez e qualidade ótica, mas em termos de luminosidade, vejam que a foto ficou igual.

3- Fotógrafo bom só fotografa no modo Manual.

Essa é outra coisa que não me parece fazer sentido algum. Em primeiro lugar, que falta de segurança é essa que as pessoas têm? Para saber se é bom fotógrafo ou não, ficam tentando se auto-afirmar dessa forma. Patético.

E depois que não é toda foto que tem necessidade de ser minunciosamente medida. Se a configuração que eu faria em determinada foto, for exatamente a mesma que o fotômetro faria automaticamente, pra quê perder esse tempo?

Vou exemplificar. Peguei duas imagens do meu acervo pessoal.

A primeira imagem é um perfeito exemplo de que tanto a fotometria manual que eu fizesse – que com certeza seria grande abertura para o fundo desfocado, aliado à velocidade relativamente alta para congelar o cachorrinho – quanto a fotometria feita de forma automática pela câmera seriam muito parecidas. Como tanto faz, posso usar configurações automáticas e ganhar tempo.

Já na segunda imagem não posso dizer o mesmo. Tenho certeza que se usasse modos automáticos, o resultado final não chegaria nem perto deste que consegui. Foi preciso analisar a luz para saber qual configuração usar. É por isso que é importante saber usar o modo manual. Mas isso significa saber o que está fazendo e não usar por usar.

Bom pessoal, espero não ter ofendido ninguém com algumas das afirmações.

E para àqueles que mesmo assim, se sentiram ofendidos, talvez seja uma boa hora de rever alguns conceitos e estudar outros.

Um abraço.

Anúncios
  1. 31/08/2010 às 13:45

    Eu adoro quando as pessoas olham minha objetiva e falam: Nossa, sua lente é escura, não é?

    • 31/08/2010 às 13:57

      Isso que voce usa Canon e pode usar aquelas lentes branquinhas! Han han?

      • 31/08/2010 às 13:59

        Outro dia eu vi uma “branquinha” para Nikon.

      • 31/08/2010 às 14:41

        Já tinham me dito que existia, mas eu nunca tinha visto uma. Legal!

      • 31/08/2010 às 14:01

  2. vivianegabi
    31/08/2010 às 14:28

    e a gente sempre pode dar “um tapinha no histograma”, né?

    • 31/08/2010 às 14:38

      Ops, que vegonha, mas nao entendi o que voce quis dizer, Vivi. rsrs.

      • vivianegabi
        01/09/2010 às 10:57

        ha ha… menina… deve ser coisa de fotografo brasiliense… Tapinha no histograma é usar o photoshop, ajeitando o a setinha daquele grafico pra aumentar ou diminuir a exposição etc.

      • 01/09/2010 às 11:19

        Ahh sim. Agora entendi hehehe.

  3. 31/08/2010 às 14:32

    adorei esse post! foi bem esclarescedor ,
    concordo sobre:o fato das lentes serem escuras ou não ,realmente é uma questão óbvia!
    se tiver “tudo igualzinho” com certeza o resultado será o mesmo :)
    ainda bem que resolveu postar,pois acendeu em mim umas curiosidades
    rs..
    até o proximo post ;)

  4. 31/08/2010 às 14:49

    haha otimo post adorei “zerar o fotômetro” putz …Antes de sair por ai falando besteiras .temos que buscar constante aperfeiçoamento, seja através de cursos ou muita leitura.Uma boa dica é sempre visitar o blog da Huaíne.

  5. 31/08/2010 às 15:37

    “Isso non ecziste” foi o máximo. Não vou nem comentar nada pq sou a rainha das pérolas, ahaha! Concordo com a dica do Elton Soares.

  6. Pedro
    31/08/2010 às 16:55

    to triste, eu jurava que saber fotometrar era só alinhar o pontinho até q ele sumisse e ficasse no zero, agora descobri que eu não sei fotometrar :(

    • 31/08/2010 às 17:08

      Hehehe. Em parte o que se tem que fazer é isso mesmo. Mas o que eu quero dizer no post, é que é preciso SABER o que está fazendo, nao colocar aleatoriamente no meio.
      Por exemplo: f/2 com 1/1000s tem exatamente a mesma exposição que f/16 com 1/15s (numa determinada condição de luz). Mas tenho certeza que o resultado na foto (embora em ambas o pontinho estaria no meio) seria completamente diferente.

      • Pedro
        31/08/2010 às 18:26

        Ah sim, agora eu fiquei um pouco mais animado,O que você quis dizer então, foi que é necessário saber qual a combinação de alinhamento do fotômetro que se encaixa na cena? Que dependende da situação de luz do ambiente para usar a exposição marcada? Certo? Espero que este entendimento não seja tbm mais uma pérola para o blog, e minha interpretação esteja correta hehehe. Acredito que eu não esteja tão ruim assim, nada que uma boa leitura, pesquisas, e testes não supram esse possível desconhecimento, e assim, quem sabe, eu possa dizer com firmeza: Eu sei utilizar a aplicação de fotometragem da máquina…rsrsrs Seria esta a frase correta? rs ^^

      • Luiz Fellipe Carneiro
        01/09/2010 às 17:59

        Uma dica? Leia “O Negativo” de Ansel Adams e aprenda o sistema de zonas. Não quer dizer que você vai usar ele, mas com certeza vai aprender muito sobre fotometria!

      • 01/09/2010 às 18:46

        Que legal. Nao conheço esse livro, vou pesquisar!

      • 01/09/2010 às 21:17

        Luiz

        aproveitando teu gancho, eu já recomendo a trilogia completa do Ansel Adams: A Câmera, O Negativo, A Cópia

        é brilhante! bela recomendação Luiz!

        abraço

      • 27/10/2010 às 13:48

        Nessa linha, o “perfect exposure” do Michael Freeman é um deleite!

      • 27/10/2010 às 13:54

        Opa, obrigada pela dica. Vou pesquisar!
        Abração.

  7. 31/08/2010 às 18:03

    Hua!! eita post bom esse, viu?
    voce acertou em cheio em educar usuarios, que muitas vezes por falta de explicacao boa, clara, e simples de entender falam bobagens sem mesmo ter consiciencia disso.
    Thumbs up, girl! keep up the good work!

    • 31/08/2010 às 18:56

      Thank you sooooo very much! HEHE.
      Eu fiquei com medo que esse post pudesse ofender algumas pessoas, sabe? Mas fico feliz que esteja tendo boa aceitação Ufa!

    • 31/08/2010 às 19:15

      Luuu, esqueci de comentar!! Esse teu site é novo? (pelo menos pra mim é, rs).
      Que demaaaais. Suas fotos estão incríveis. Não é rasgação de seda hein hehehe.
      O seu trabalho está cada dia melhor, me orgulho de você!

  8. Pedro
    31/08/2010 às 18:27

    Ah sim, agora eu fiquei um pouco mais animado. O que você quis dizer então, foi que é necessário saber qual a combinação de alinhamento do fotômetro que se encaixa na cena? Que depende da situação de luz do ambiente para usar a exposição marcada? Certo? Espero que este entendimento não seja tbm mais uma pérola para o blog, e minha interpretação esteja correta hehehe. Acredito que eu não esteja tão ruim assim, nada que uma boa leitura, pesquisas, e testes não supram esse possível desconhecimento, e assim, quem sabe, eu possa dizer com firmeza: Eu sei utilizar a aplicação de fotometragem da máquina…rsrsrs Seria esta a frase correta? rs ^^

    • 31/08/2010 às 19:06

      Oi Pedro. Nao se preocupe em não saber, o importante é que voce está se preocupando em se informar e essa é a chave!
      O que quis dizer foi exatamente isso. A combinação pode variar, dependendo do resultado que voce espera e do que você está fotografando.
      No exemplo que dei antes, embora a quantidade de luz que esteja atingindo o sensor seja igual, as duas combinações produzem resultados muito diferentes.

      Veja que em f/2 você terá uma grande abertura e por consequencia, uma pequena profundidade de campo. Isso resulta no fundo desfocado. Usando 1/1000s o seu obturador disparará muito rapido, isso significa que voce poderá congelar objetos em movimento, como uma criança ou um cão correndo.

      Agora, usando f/16, voce terá uma abertura pequena e uma grande profundidade de campo, ou seja, toda a cena ficará, provavelmente, em foco. Em contrapartida, usando 1/15s seu obturador estará lento. Se for clicar uma criança correndo, a foto ficará borrada.

      Percebe? Se você procurar aleatoriamente o ponto onde a exposição está correta, sem verificar qual a abertura e a velocidade para o que voce pretende fotografar, voce pode ter resultados muito diferentes, mesmo que todos estejam com a luz corretíssima.

      Espero que voce tenha conseguido entender. Pode ficar à vontade para fazer mais perguntas.

      Um abraço.

  9. 31/08/2010 às 19:38

    Hmmm… Recorde de respostas?

    A propósito, eu ia fazer mesma “brincadeira” com as teles brancas da Canon, mas lembrei desse mesmo detalhe… rsrsrs

  10. Pedro
    31/08/2010 às 19:41

    Entendi perfeitamente agora Hua. Agora pelo menos não me sinto mais que nem um macaco hehehehe Foi muito triste, quando eu li que até um macaco, saberia fazer o que eu faço rsrsrs Obrigado pelo esclarecimento. Parabéns pelo blog. Deus abençõe você ;)Forte abraço.

    • 31/08/2010 às 19:52

      Hahahaha. Esse lance do macaco é uma brincadeirinha que eu faço, pq acho engraçado mesmo. Eu sou secretária e é um típico trabalho que nao exige nada do intelecto da pessoa. Direto digo que até um macaco faz o trabalho de escritório que eu faço hehehe.

  11. Poly
    31/08/2010 às 21:48

    Ah tá, então quando eu fiz meu curso com a fodona da fotógrafa aqui de GYN, ela falava zerar o fotometro, que anta!

    • 01/09/2010 às 08:55

      Poly, não é que está errado, leia melhor que voce vai entender. O que disse é que colocar o pontinho no meio POR SI SÓ, não é saber fotometrar.

      Para entender melhor o conceito, leia as respostas que dei para o Pedro.

      Um abraço.

  12. 01/09/2010 às 08:41

    Hahaha essa da lente ser mais clara nas mesmas condições doeu… hauhuahau essa eu nunca tinha ouvido!

    bjinho!

  13. 01/09/2010 às 09:53

    Adorei o post e me encantei com sua simplicidade, simpatia e desmistificação das coisas. Como estou aprendendo, quero mais!!! sucesso e parabéns.

    • 01/09/2010 às 10:41

      Obrigada, Ana.
      Se voce tiver alguma sugestão de assunto que queria ver por aqui, fique a vontade para opinar.

      Um abração.

  14. Aline
    01/09/2010 às 10:51

    Ótimo post, adorei a forma como você expôs o assunto e confesso que já ouvi e falei muitas dessas pérolas, obrigada por esclarecer ;)

  15. 01/09/2010 às 13:22

    Muito Bom Huíane!

    Eu complemento com algumas pérolas, que não são de fotógrafos, muito pelo contrário, são de leigos, mas que irritam qualquer fotógrafo:
    “ahhh mas também, com essa máquina aí é fácil de fazer” (conhecimento, treino e olhar então não valem de nada?)

    “ooo, essa máquina aí faz milagres hein?” (eu escuto muito isso… sendo que minha máquina é uma pobrinha de uma D40, rsrs…. fico pensando se a máquina dispara sozinha ou se ela me diz onde fotografar)

    beijoss!

    • 01/09/2010 às 14:02

      Boa Diogo! Já ouvi muuuito isso que você comentou.
      Agora já consigo filtrar e não me irritar mais, mas no inicio era MUITO frustrante.

    • 01/09/2010 às 17:10

      Pois é, Diogo, essas aí são as clássicas das clássicas! hehe…
      Mas, realmente, isso já foi muito frustante. Hoje, finjo que nem escuto. rsrsrs…

      Abraço!

      (PS: Nesse post eu posso meter o bedelho, né, parceira? hahaha…)

      • 01/09/2010 às 18:46

        À VONTADE!

      • 01/09/2010 às 21:14

        Hahaha!
        Pois é, eu to começando a aprender a não ficar bravo com isso também… mas é um processo quase zen budista para chegar nessa elevação espiritual! hahaha

        abraços

  16. 01/09/2010 às 13:24

    Eu prefiro não chamar de macaco, mas sim de burro, principalmente tratando-se de fotogrfos. Sou apenas um apaixonado por fotografia e fiquei chocado com a falta de conhecimento de alguns fotografos. Para mim são coisas básicas que se um fotografo não sabe, então nem amador é! Gostei do post.
    Cumprimentos de Portugal.

    • 01/09/2010 às 14:00

      Eu também fico chocada com a quantidade de pessoas que se denomina fotógrafo sem conhecimento nenhum.
      Não chamei as pessoas de macaco heheh. É que tem coisas tão simples, que qualquer um, até uma criança, saberia fazer.

  17. 01/09/2010 às 17:16

    Olá Huaíne! Tudo bem?

    Primeiro louvável sua iniciativa. Parabéns!

    Gosto do papel de advogado do diabo. Portanto:

    .Que raios de lente é “lente de Kit?”

    .Para mim, as fotos dos Mercedes DTM, a da esquerda (50mm) é nitidamente mais clara que a do Kit. É só olhar os fundos e a saturação de cor do vermelho, por exemplo. Isto considerando que foram feitas sob as mesmas condições de luz.

    .Não que todo fotógrafo bom “só” fotografe no manual, mas todo bom fotógrafo aprendeu no manual e o domina por completo.

    .Cuidado com o resultado final quando usar muito altas e muito baixas (acima de 20 seg., ou acima de 1/4000, como exemplos) velocidades e pequenas e grandes aberturas (abaixo de f2.0 ou acima de f32, pois os filmes analógicos ou cameras digitais, não responde de forma totalmente linear em certas condições. Por exemplo, se voce achar que o resultado final de uma exposição de 40 seg. é exatamente o dobro de luz da de uma de 20seg., pode se dar mal.

    Bjs. continue assim,

    Alex Soletto.

    • 02/09/2010 às 02:55

      Alex,

      A diferença que vc vê nas fotos da Mercedes (hehe), eu creio que seja de tonalidade, e não de exposição.

      Além disso, fizemos uma comparação com as duas fotos e notamos também uma distorção muito grande na 18-135mm. E eu notei também (fui eu quem fez essas fotos)que o ângulo de visão das duas não eram os mesmo. A AF 50mm f/1.8 é um pouco mais fechada.

      Enfim, a física é simples, então, então qualquer coisa que fuja à teoria deve ser algum erro da “máquina” (máquina, máquina mesmo, eu digo).

      Mas com certeza a sua colocação sobre o “resultado final” é válida. Sem dúvida.

      Um abraço!

  18. Daniella Pedrini
    03/09/2010 às 09:23

    A abertura é uma medida espacial.
    Uma lente de kit tem muito mais elementos óticos dentro dela e elementos óticos cortam a luminosidade. portanto, uma lente de kit é sim mais escura nas mesmas aberturas e configurações que uma lente 50mm. Sua foto está mais escura que a outra, vc não percebeu? e não é um “erro da máquina”.

    • 03/09/2010 às 09:46

      Apenas à título de esclarecimento, perceba que a explicação utilizando duas lentes distintas visa demonstrar como uma exposição “x” é sempre uma exposição “x”, excetuando-se fatores como qualidade ótica e diferença nos elementos ópticos internos .

  19. carlos masetti
    27/09/2010 às 11:09

    Oi Huaine, gostei da sua didática, parece que a questão do “zerar” fotômetro está mais na semântica rssss, bem esclarecedor. De minha parte já sabia, aprendi direitinho, viva “São Ansel Adams” rssss.
    Quanto as lentes, penso que a Daniella Pedrini ali, também não deixa de ter razão, assim como você no seu ponto de vista, semântica de novo rssss.

  20. Giorgi Bastos
    11/05/2011 às 18:22

    Hahahaha muito boa, prazer sou Giorgi Bastos, sou fotógrafo por amor a fotografia, não trabalho no ramo! É meu hobby, sou um eterno aprendiz, e falando em lentes claras e escuras, me fez lembrar de uma sena que aconteceu comigo, em dezembro troquei de equipamento e comprei uma D 5000, e um belo dia , estava eu lá registrando alguns momentos, e um fotógrafo amigo se aproximou de mim e perguntou , essa maquina é a NIKON D 5000 ? Eu respondi, sim, é ela mesma!Aí ele me indagou, posso te falar uma coisa? Eu falei claro pode sim, e ele me falou para trocar a lente, pois essa do kit era muito escura! E eu falei que não sabia do que ele estava falando, mas que eu estava muito satisfeito com ela… E hj sei o que ele queria dizer hahaha muito bom Huaíne…

  1. 01/09/2010 às 14:16

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: